LOST IN Itália | Veneza #2

A beleza e mistério de Veneza vai muito além dos canais e das gôndolas… Os monumentos, reflexo de uma cidade rica e repleta de história, são um deleite para quem gosta de Arte e Arquitetura!

Neste post apenas vou falar de alguns monumentos importantes da Piazza di San Marco, da Basilica di Santa Maria della Salute e da Chiesa di San Giorgio Maggiore.

01


  • Piazza di San Marco (Praça de São Marcos)

A Praça de São Marcos é a única praça de Veneza e o local de maior concentração de turistas. O espaço aberto está dominado pela Basílica de São Marcos, o Palácio Ducal de Veneza e o Campanário da Basílica, no entanto, existem vários edifícios bastante importantes e alguns estabelecimentos comerciais, incluindo o Caffè Florian e o Gran Caffè Quadri.

02

A Praça de São Marcos é o lugar mais baixo de Veneza e, quando a água sobe no Mar Adriático por tempestades ou excesso de chuva, é o primeiro sítio a inundar-se.

03 04 05


  • Basilica di San Marco (Basílica de São Marcos)

A Basílica de São Marcos é uma das mais famosas igrejas de Itália e um dos seus melhores exemplos da arquitetura bizantina.A primeira construção, em 828, fazia parte do Palácio dos Doges e foi levantada para guardar as relíquias de São Marcos trazidas de Alexandria. Por várias vezes o edifício foi queimado e reerguido até chegar ao formato atual (tendo a sua última reconstrução iniciada em 1063). Por dentro, as paredes foram recobertas com mosaicos, numa mistura dos estilos bizantino e gótico; o piso, do século XII, é uma mistura de mosaico e mármore em padrões geométricos e desenhos de animais. Os mosaicos contêm ouro, bronze e uma grande variedade de pedras bem como representações de contos de São Marco, cenas do Antigo e do Novo Testamento. Bem no centro, no altar principal fica o túmulo com os restos mortais de São Marcos.A grandeza de Veneza sempre foi espelhada no enriquecimento da Basílica, tendo esta sido embelezada com objetos preciosos e obras de arte trazidas de lugares mais distantes.Os 4 cavalos que se encontram no alto da fachada (grande parte coberta de mármore trazida do Oriente) são na verdade réplicas, sendo que os verdadeiros se encontram no Museu da Basílica. Foram feitos no século IV a.C. e trazidos de Constantinopla para a Itália, no entanto há quem acredite que fizeram parte do Arco de Trajano em Roma. Hoje em dia, devido à enorme quantidade de visitantes, apenas uma parte do espólio pode ser visitado e, apesar da entrada na basílica ser gratuita, para visitar o Museu de São Marcos, o Tesouro ou o altar Pala d’ Oro é preciso pagar.

06 IMG_4465 IMG_4464 O campanário da Basílica de São Marcos tem 98,6 m de altura e fica perto da entrada da basílica. Da sua construção inicial (século IX) nada resta. Tem a forma atual desde 1514, no entanto, a torre que se observa hoje é uma reconstrução, que foi terminada em 1912 depois do colapso ocorrido em 1902.


  • Palazzo Ducale (Palácio Ducal)

Também conhecido como Palácio do Doge, é um dos símbolos da cidade de Veneza e uma obra-prima do gótico veneziano. O palácio atual foi construído entre 1309 e 1424.

Serviu como residência do Doge de Veneza e continha os escritórios de várias instituições políticas, organizados à volta de um pátio central. A entrada monumental do palácio, conhecida por Porta della Carta, deve o seu nome ao seu uso para afixação de novas leis e decretos. A sala mais impressionante é a Câmara do Grande Conselho ou Sala del Maggior Consiglio, originalmente a sala de reuniões da legislatura, onde se podem encontrar pinturas de antigos Doges e a obra “Paraíso”, de Tintoretto, considerada a maior pintura do mundo em tela. O pátio é completamente circundado por arcadas, encimadas por loggias, tal como as fachadas.

Na parte traseira do palácio está a Ponte dos Suspiros, que liga o Palazzo Ducale à Prigioni Nove, o primeiro edifício no mundo construído para ser uma prisão. Foi-lhe atribuído esse nome porque a lenda diz que, os prisioneiros enquanto a atravessavam, suspiravam por ser a última oportunidade de ver o mundo cá fora.

08 09 07 10 11


  • Basilica di Santa Maria della Salute (Basílica de Santa Maria da Saúde)

Situada mesmo à entrada do Grande Canal, ficou concluída em 1681 para marcar a sobrevivência a um surto de peste que dizimou a população em 1630. É uma obra com fachada e cúpula barroca que alberga obras importantes, incluindo pinturas de Ticiano e Tintoretto. A 21 de Novembro celebra-se a “Festa della Madonna della Salute” (Festa de Nossa Senhora da Saúde), na qual as pessoas atravessam uma ponte de barcas que vai da Praça de São Marcos até à basílica, onde param para rezar.

12 13 14


  • Chiesa di San Giorgio Maggiore (Igreja de São Jorge Maior)

Localiza-se na pequena ilha de San Giorgio Maggiore, em frente à Praça de São Marcos. A fachada é em forma de templo clássico, com uma só entrada e com quatro colunas compostas sobre altos plintos. O edifício ficou terminado em 1576, enquanto a fachada se completou em 1610.

Nesta basílica encontra-se os últimos quadros de Tintoretto: “A Última Ceia” (1592-1594), “Recolha do Maná” (1594) e “A Deposição” (1592-94), sendo que as duas primeiras se encontram nas paredes do presbitério e a última na capela dos mortos.

15 16


Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s