LOST IN Marrocos | Marraquexe #2

Depois do reboliço dos souks e da praça Jemaa el-Fna, nada melhor que dar um passeio por um dos muitos jardins de Marraquexe. Estes revelam a preocupação dos habitantes desta cidade na preservação de espaços verdes que contrastam com toda a paisagem árida envolvente…


  • Jardim de Majorelle

O Jardim de Majorelle é um dos lugares mais visitados em Marrocos e foi, também, o meu lugar de eleição nesta viagem. A sua construção, a cargo do pintor francês Jacques Majorelle, demorou 40 anos e é um autêntico oásis no coração da cidade vermelha. Foi adquirido por Yves Saint Laurent, em 1980, e posteriormente oferecido à cidade de Marraquexe. Depois da morte de YSL, em 2008, as suas cinzas foram espalhadas pelo jardim.

O complexo é formado por uma casa em estilo Art Déco com influência árabe e uma série de fontes e jardins. O que mais chama a atenção são as cores, sendo o azul, de tonalidade forte e pouco habitual, o mais caraterístico – azul de Majorelle. São mais de 300 espécies de plantas dos cinco continentes, havendo uma zona com cactos de todo o mundo, vários tipos de palmeiras, nenúfares, lótus, bambus… um verdadeiro paraíso!

Este jardim alberga o Museu de Arte Islâmica de Marraquexe, com cerca de 600 artefatos e jóias da cultura Berber. Existe, ainda, a galeria “Love”, com obras da autoria de YSL, uma pequena loja e um café (com bebidas a preço “alta-costura” mas que compensam pelo ambiente envolvente!).

IMG_2381 IMG_2382IMG_2385IMG_2380IMG_2383


  • Jardins de Menara

A Menara, um vasto jardim, com oliveiras centenárias, irrigado por um enorme lago, onde se encontra um elegante pavilhão construído, em 1870, pelos Saadianos. Os jardins de Menara, com as montanhas do Atlas como pano de fundo, são uma das imagens postal da cidade.

IMG_2378 IMG_2379IMG_2377


  •  Palmeiral de Marraquexe e Jardim Agdal

Marraquexe desenvolveu-me muito à custa destas grandes plantações de palmeiras, citrinos e oliveiras. O Palmeiral de Marraquexe conta com mais de 130.000 palmeiras. O Jardim de Agdal cresceu mais de 400 hectares desde a sua fundação no século XII. Para manter estas extensas áreas verdes em pleno deserto, há todo um sistema de canais subterrâneos (a qanat) que drenam água das montanhas do Atlas, a cerca de 30km da cidade.

Nestes jardins é possível fazer passeios de camelo.


A viagem por Marraquexe vai continuar… Até lá, vão-se perdendo por aí…

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s